JORNAL CIDADE EM FOCO AZ: Sites unem publicidade e viram 'febre'

notícias do Brasil e do Mundo

DRTV - RADIO ON LINE AO VIVO

Para pedir sua musica no xat ao vivo acesse: DRTV - RADIO ONLINE - Direção e Apresentação: Dj Dirceu e Rosangela Matos - Jornalista MTB 54903/SP
Um oferecimento de Revista Champagne News
Watch live streaming video from revistachampagnenews at livestream.com

Sites unem publicidade e viram 'febre'


Se quem compra quer pagar pouco e quem vende quer ter lucro, como equilibrar os investimentos que a empresa faz para atrair clientes e os descontos que o comprador tanto “chora”? Afinal, até o Google demorou para descobrir como transformar as redes sociais em meios de lucro. Parece que os sites de compras coletivas descobriram essa fórmula. Os endereços são febre em São Paulo e Rio de Janeiro e desde o ano passado estão presentes em midias e estabelecimentos de Campo Grande.
O princípio é simples: o dono de um local quer divulgar o negócio e oferece um produto ou serviço com desconto de no mínimo 50%. Os sites de compra coletiva gerenciam e divulgam a oferta e o consumidor paga menos da metade do valor no produto. “Comecei a usar porque meu pai me falou dos sites, aí me interessei e comecei a entrar todos os dias, e meu pai também. Agora somos viciados, sempre procuramos promoções de comida, que são as que mais valem a pena”, conta a estudante de Fisioterapia, Letícia Ribeiro, de 20 anos.

“Eu e meu primo montamos um site em setembro de 2010, quando ainda não tinha nenhum em Campo Grande. Hoje temos seis funcionários e estamos procurando pessoas para representar em Dourados, queremos segmentar”, relata o dono de um site de compra coletiva. O lucro da empresa funciona com porcentagens dos descontos, se uma empresa oferece 80% de desconto em um serviço, o site divulga 60% e obtém 20% do valor para si. Em troca, o comerciante atrai novos clientes para a empresa.
Mercado
Hoje existem em torno de 12 sites de compra coletiva em Campo Grande, eles podem ser considerados uma nova mídia, mas também são negócio. “Funciona como uma empresa normal, precisa ter editoria de arte, criação, atendimento, área comercial. Não dá para brincar de fazer site”, aponta o dono de um deles. O que antes era uma verdadeira luta para conseguir anunciantes, hoje exige menos esforço, pois os comerciantes têm percebido o resultado da divulgação.
A abrangência dos produtos é ampla, ofertas de alimentação e estética são campeãs de venda. Mas já há sites apostando em pacotes de viagem, inclusive internacionais. “Nunca tive problemas com a compra, mas já aconteceu de eu chegar na loja e não ter o que eu queria. Era um modelo de óculos escuros que não estava na promoção. Aí eu acabei inteirando o dinheiro”, conta Letícia.

Problemas coletivos
Embora haja vantagem nos descontos dados, compras pela internet ocasionam alguns transtornos. Segundo dados do site Reclame Aqui, desde junho de 2010 são 4.414 reclamações nacionais sobre os endereços de compra coletiva. Os motivos das reclamações mais frequentes são: cobrança duplicada e dificuldade de cancelar compra.

Com relação aos estabelecimentos que ofereceram a promoção, há registros de reclamações sobre a discriminação dos clientes que utilizam as compras coletivas e também do despreparo dos fornecedores para atenderem à demanda dos produtos e serviços vendidos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Veja também

Notícias mais vistas dos últimos 30 dias

SEGUIDORES ILUSTRES

Pensamento do Dia - colaboração do Leitor do Jornal Cidade em Foco Sr Marcos Roberto SP/SP

O que não te destrói, te fortalece.



Por mais que pareçam difíceis seus problemas, use-os como instrumento a seu favor, um dia verás que conseguiu superar e foi vitorioso. Fique firme, não desista, lute e conquiste, estamos torcendo por você.
Palavras da Redação do Jornal Cidade em Foco

Nossos leitores em 151 países do Mundo - Our readers in 119 countries

Redação - dra.rosangelamatos@hotmail.com

Nossos Seguidores no Twitter @DraRosangelaM

Visitantes

Mural de Recados

"este espaço acima é reservado aos internautas, fiquem a vontade, façam bom uso"