notícias do Brasil e do Mundo

DRTV - RADIO ON LINE AO VIVO

Para pedir sua musica no xat ao vivo acesse: DRTV - RADIO ONLINE - Direção e Apresentação: Dj Dirceu e Rosangela Matos - Jornalista MTB 54903/SP
Um oferecimento de Revista Champagne News
Watch live streaming video from revistachampagnenews at livestream.com

Divisões entre emergentes devem manter controle europeu do FMI, diz 'Le Monde'

Para jornal, Lagarde será "provavelmente" eleita para chefiar o FMI
Um editorial publicado nesta sexta-feira pelo diário francêsLe Monde afirma que o controle do FMI permanecerá nas mãos de um europeu graças às divisões entre os países emergentes.
“A francesa Christine Lagarde (atual ministra da Economia do país) será muito provavelmente a próxima diretora-geral do FMI. Uma razão, uma só: os emergentes não parecem concordar com um candidato único”, afirma o texto.
Desde a renúncia à chefia do FMI do também francês Dominique Strauss-Kahn, preso em Nova York acusado de assédio sexual e tentativa de estupro, os principais países emergentes vêm defendendo que o novo diretor-geral seja um representante das nações em desenvolvimento.
Desde a criação do sistema financeiro internacional, em 1945, que a direção-geral do FMI fica tradicionalmente a cargo de um europeu, enquanto o Banco Mundial é dirigido por um americano.
Para o Monde, o atual cenário mostra que o BRIC, grupo que reúne os países emergentes Brasil, Rússia, Índia, China e, mais recentemente, África do Sul, é incapaz de alterar a velha ordem mundial.
“Se existem muitos poderes emergentes, eles não têm nem a unidade política nem a comunhão de interesses ou valores necessários para formar um bloco”, afirma o editorial.
Para o jornal, Lagarde “será provavelmente eleita com os votos de vários dos BRICs”.
Sem propostas
O editorial cita um artigo do cientista político francês Zaki Laïdi, segundo quem os países emergentes são “uma força para protestos, mas não para propostas” e são “marcados por velhas rivalidades regionais”.
O texto observa que seria difícil imaginar o Brasil apoiando o mexicano Agustín Carstens, único candidato forte da América Latina, por causa do “ego latino-americano”. Da mesma maneira, o jornal diz que é difícil imaginar a Índia apoiando um candidato chinês.
O editorial também aponta divisões políticas entre os países BRIC, exemplificadas nas críticas da China e da Rússia às iniciativas de Brasil e Turquia no ano passado por um acordo sobre o programa nuclear iraniano.
Para o jornal, “enfrentados com alguns dos principais problemas atuais, os mercados emergentes não têm um programa único”.
“Eles não têm nada a dizer por si mesmos – da luta contra a proliferação nuclear ao combate à pirataria marítima, da desestabilização do Oriente Médio ao aquecimento global, muito do ‘trabalho’ é feito pelo ‘velho mundo’”, afirma o jornal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Veja também

Notícias mais vistas dos últimos 30 dias

SEGUIDORES ILUSTRES

Pensamento do Dia - colaboração do Leitor do Jornal Cidade em Foco Sr Marcos Roberto SP/SP

O que não te destrói, te fortalece.



Por mais que pareçam difíceis seus problemas, use-os como instrumento a seu favor, um dia verás que conseguiu superar e foi vitorioso. Fique firme, não desista, lute e conquiste, estamos torcendo por você.
Palavras da Redação do Jornal Cidade em Foco

Nossos leitores em 151 países do Mundo - Our readers in 119 countries

Redação - dra.rosangelamatos@hotmail.com

Nossos Seguidores no Twitter @DraRosangelaM

Visitantes

Mural de Recados

"este espaço acima é reservado aos internautas, fiquem a vontade, façam bom uso"